“Churrasquinho da tia”, um negócio que dá gosto

 

Churrasquinho da tia/Foto: Flávia Vianna
Churrasquinho da tia/Foto: Flávia Vianna


Ao caminhar pelo entorno da Universidade Veiga de Almeida, na Tijuca, no turno da noite, é notável um aglomerado de pessoas ao redor de uma barraquinha de esquina. A fumaça logo denuncia o churrasquinho. A responsável pelo sucesso do ponto é Eliete Barros dos Santos, 44 anos, moradora da Pavuna, que ganha a vida vendendo espetinhos nos arredores da instituição.

Conhecida como a “tia do churrasquinho”, Eliete cresceu em uma família de ambulantes e seguiu a tradição. O ponto de partida contou coma a parceria de um dos irmãos, e em 1996 começou a vender cachorro quente. Mais tarde, decidida a abrir seu próprio ponto, seguiu a intuição e investiu na venda do famoso churrasquinho, um negócio que deu muito certo. A rotina é pesada, Eliete acorda todos os dias às seis da manhã, vai até a Central de Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro (CEASA-RJ), compra os alimentos fresquinhos, e na parte da tarde prepara o que será vendido à noite.



O funcionamento da barraca acontece de segunda a sexta das 16h30 às 22h30, mas geralmente ela permanece até a última pessoa ir embora. Com um ótimo movimento de alunos, professores e trabalhadores da área, ela consegue tirar a renda que sustenta sua família. Como todo estabelecimento bem-sucedido, Eliete não consegue dar conta de tudo sozinha, ela conta com a ajuda de duas amigas, para as quais paga a diária pelo serviço no final de cada dia. Além do churrasquinho, que já é muito popular, Eliete resolveu ampliar o negócio. Há cerca de um ano e meio ela apostou na venda de frango empanado e mais uma vez acertou. O delicioso frango que pode ser acompanhado por cheddar ou catupiry, faz a felicidade dos alunos da universidade e de quem passa pelo local.

Perguntada sobre o motivo do sucesso de sua barraca, ela não escondeu o jogo e revelou o segredo do negócio: “Acho que o meu diferencial é o bom atendimento e a qualidade do meu produto. Além de estar há muito tempo aqui e o pessoal já me conhecer. ” Há mais de uma década no ramo, com a certeza da qualidade do seu serviço, muita garra e força de vontade, Eliete sonha com regularização da sua barraca, para poder trabalhar sem medo da fiscalização. “Em todos esses anos, venho tentando com que a prefeitura libere a autorização para a venda de churrasquinho, porém ainda não consegui”. Enquanto o sonho não vira realidade, toca o humilde negócio com mãos firmes e oferece uma ótima opção a quem passa pela Rua Ibituruna.

Flavia Vianna

Flavia Vianna

Carioca apaixonada pela vida, crianças e Jornalismo.

Oi...Esse aviso é só para te lembrar de CURTIR a nossa FanPage no Facebook.

Assim você estará cada vez mais ligado nas novidades do Rio Jahé!

CLOSE