Projeto Aldeya Yacarepaguá destaca a produção artística e cultural da região de Jacarepaguá

Pra que serve a escola/Foto: Thiago Barranco - Estúdio SaveAs
Pra que serve a escola/Foto: Thiago Barranco – Estúdio SaveAs

Com todas suas atrações gratuitas, iniciativa do Espaço Cultural Escola Sesc abre espaço para artistas locais numa programação que integra música, teatro, cinema e gastronomia

O Projeto Aldeya Yacarepaguá – Feira da Diversidade Cultural visa promover e estimular a produção cultural e artística de Jacarepaguá, com enaltecimento dos recursos humanos e conteúdos locais, bem como potencializar, não só as redes de troca de conhecimento, mas, principalmente, a valorização do sentimento de pertencimento e identidades locais. Em 2016, em sua oitava edição, o Aldeya Yacarepaguá pretende promover maior interação entre a Escola Sesc e o saber cultural dos artistas da região do entorno.

Música de câmara, teatro, cinema, gastronomia e shows musicais estarão no portfolio de atividades da próxima semana – todas com entrada franca. O Espaço Cultural Escola Sesc fica na Avenida Ayrton Senna, 5677 – Jacarepaguá. Informações: (21) 3214-7404, ou no e-mail espacoculturalescolasesc@gmail.com Confira abaixo os horários e sinopse das atrações:





Dia 13 às 19h30: Projeto Sesc Partituras apresenta Duo Madeira Mar-Fim

Local: Espaço Cultural Escola Sesc | Duração: 2h | Classificação Etária: Livre | Capacidade: 80 lugares

Sinopse: O projeto Madeira Mar-Fim visa divulgar a música de câmara, especialmente a brasileira, aos mais diversos públicos e, não só em palcos tradicionais de música erudita, mas, também, em espaços de interação de arte e formação, como escolas e museus.

Dia 14 às 19h30: A Descoberta das Américas – monólogo com Julio Adrião

Espetáculo ganhador do Prêmio Shell de melhor ator para Julio Adrião.

Local: Espaço Cultural Escola Sesc | Duração: 80 minutos | Classificação Etária: 14 anos | Capacidade: 600 lugares.

Sinopse: O monólogo conta a história de um zé-ninguém de nome Johan Padan, rústico, esperto e carismático, escapa da fogueira da inquisição embarcando, em Sevilha, numa das caravelas de Cristóvão Colombo. No Novo Mundo, nosso herói sobrevive a naufrágios, testemunha massacres, é preso, escravizado e quase devorado pelos canibais. Com o tempo, aprende a língua dos nativos, cativa-os e safa-se fazendo “milagres” com alguma técnica e uma boa dose de sorte. Venerado como filho do Sol e da Lua, catequiza e guia os nativos numa batalha de libertação contra os espanhóis.

Dia 15 às 19h30: Espetáculo: Pra que serve a escola? Com a Cia. de Arte Cadê/RJ / Dança

Local: Espaço Cultural Escola Sesc | Duração: 50 minutos | Classificação Etária: Livre

Capacidade: 600 lugares

Sinopse: “Pra que serve a escola?” é um espetáculo de Dança Contemporânea e suas possibilidades de interação com a Performance e o Vídeo. É um convite a se lançar um olhar questionador e investigador sobre a Escola. Propõe uma reflexão sobre o que acontece no espaço escolar, sobre as relações entre os diferentes sujeitos presentes no seu cotidiano e no quanto essas relações influenciam na constituição da subjetividade desses mesmos sujeitos. O espetáculo conduz a plateia a uma inevitável identificação com as situações que se apresentam, já que a maioria do público, independentemente de sua idade, viveu, vive ou viverá experiências em espaços escolares, capazes de tocar e marcar a sua sensibilidade.

Dia 16 às 15h: Exibição do filme “Enchente” (2010) com a presença do diretor Paulo Silva

Local: Auditório da Escola Sesc de Ensino Médio | Duração: 72 min | Classificação Etária: 10 anos

Capacidade: 80 lugares

Sinopse: “Enchente”, de Julio Pecly e Paulo Silva, parte das grandes enchentes ocorridas no Rio de Janeiro em 1996 para denunciar o pouco caso das autoridades. Na Cidade de Deus, bairro onde é situado o documentários, morreram cerca de 100 pessoas.

Dia 16 às 19h30: Show da Banda Terra nosso lar

Local: Auditório da Escola Sesc de Ensino Médio | Duração: 2h | Classificação Etária: 10 anos | Capacidade: 80 lugares

Sinopse: A banda traz ao público músicas autorais que versam sobre o meio ambiente, o cotidiano e o comportamento humano, num contexto em que se busca conciliar as aspirações individuais com a necessidade de garantir a sustentabilidade do planeta, dando chance para as gerações futuras. O que é uno faz parte do coletivo, e vice-versa, e é com essa premissa que a banda mescla, em seu repertório, conceitos, tendências e sentimentos atuais, vividos no dia-a-dia popular.

Dia 17 às 16h: Espetáculo: Se eu fosse Iracema com Coletivo 1COMUM/RJ / Drama

Local: Espaço Cultural Escola Sesc | Duração: 60 minutos | Classificação Etária: 16 anos | Capacidade: 80 lugares

Sinopse: “Se eu fosse Iracema” propõe um olhar sobre o universo indígena brasileiro, transitando entre a tradição e a sua situação atual. O espetáculo usa referências que vão de mitos e rituais de várias etnias originárias do país a aspectos como a demarcação de terras e outros direitos fundamentais, muitas vezes negligenciados.

Dia 17 às 17h: OPA VIVARÁ – Cozinha n’Aldeya

Local: Jardins da Escola Sesc de Ensino Médio | Duração: 3h | Classificação Etária: Livre | Capacidade: 100 pessoas.

Sinopse: Uma cozinha coletiva móvel, equipada com bebedouros de água potável, tanques para lavagem de louças e alimentos, forno e fogão à lenha, mesas e bancos, um estar coletivo, tudo aberto para a livre participação do público.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Oi...Esse aviso é só para te lembrar de CURTIR a nossa FanPage no Facebook.

Assim você estará cada vez mais ligado nas novidades do Rio Jahé!

CLOSE