Cidade das Artes homenageia a fadista portuguesa Amália Rodrigues

A cantora Amália Rodrigues (1920 – 1999), um dos principais ícones da história da música portuguesa, ganhará um tributo à altura de sua importância e de sua relação especial com o Brasil. No dia 5 de novembro, a Cidade das Artes inaugura a exposição “Amália: Saudades do Brasil” – em cartaz até o dia 04 de dezembro – e sedia o show “Cantar Amália”, com a participação dos fadistas portugueses Jorge Fernando, Pedro Moutinho e Fabia Rebordão, concerto que estreou na Europa com lotação esgotada no Olympia, em Paris.

A homenagem surge em um momento de revalorização do fado e da cultura portuguesa, com a revelação de novos nomes e a popularização do gênero no Brasil. O projeto, organizado pela Creative Industries Programmes, em parceria com o Museu do Fado e o Museu Nacional da Dança e do Teatro, em Lisboa, tem curadoria de Frederico Santiago, Luís Neves e Sara Cavaco.

amalia-10-0397
Foto: Divulgação

Jorge Fernando, que acompanhou Amália na guitarra por muitos anos, se unirá às vozes de Pedro Moutinho, detentor de um Prêmio Amália; Fabia Rebordão, prima de Amália e expoente da nova geração; e a renomada Lenita Gentil. “Amália tinha uma inteligência rara e sagaz, e aquela voz imaculada, afinadíssima, muito inteligente, além da capacidade de tocar e comover as pessoas”, analisa Jorge Fernando.

amalia-54-08621
Foto: Divulgação

Já a exposição “Amália: Saudades do Brasil” reúne uma série de cartazes – como o da estreia no Cassino de Copacabana, em 1944 -, além de registros inéditos de som e imagem, incluindo a partitura original do clássico “Ai, Mouraria”. Na mostra, os documentos históricos ganham a companhia de obras inspiradas na diva do fado assinadas por artistas contemporâneos, como Vik Muniz e Francesco Vezzolli.

“A ligação de Amália Rodrigues ao Brasil é quase inesgotável. Foi num avião a caminho do Rio de Janeiro, em 1944, que Amália leu os primeiros versos eruditos que viria a cantar, ‘As penas’, do poeta oitocentista Fernando Caldeira. Foi também no Brasil que gravou o seu primeiro poema, ‘Corria atrás das cantigas’, no Fado Mouraria”, afirma a curadoria.

Amália Rodrigues atuou regularmente no país e gravou a obra de grandes nomes da cultura brasileira, como Vinicius de Moraes, Cecília Meirelles e Dorival Caymmi. A exposição, que em seu título remete à composição Saudades do Brasil em Portugal, de Vinicius de Moraes, aborda a sua relação com o Brasil, a importância do país na construção da sua presença no mundo e a influência que a artista teve e continua a ter nas novas gerações de criadores, não só na área da música como também nas artes visuais. “Fiz com ela o show no Canecão, por exemplo. E recordo o carinho especial com que o público brasileiro sempre recebeu Amália. Era como se o povo brasileiro a considerasse uma deles. E ela era, até cantava coisas brasileiras”, recorda Jorge Fernando.

 

Serviço:

Exposição “Amália: Saudades do Brasil”

Data: 05/11 a 04/12, terça a domingo de 10h às 18h.

Local: Cidade das Artes – Galeria

Avenida das Américas, 5300 – Barra da Tijuca. Rio de Janeiro

Classificação Etária: Livre

Entrada Franca

 

Espetáculo: “Cantar Amália”

Com: Jorge Fernando – voz, viola, e direção musical; Pedro Moutinho – voz;  Fabia Rebordão

Data: 05/11, sábado, às 20h

Local: Cidade das Artes – Grande Sala

Avenida das Américas, 5300 – Barra da Tijuca. Rio de Janeiro

Classificação Etária: Livre

Ingressos: Plateia / camarotes: R$160,00; Frisas: R$120,00; Galerias: R$ 50,00

Na bilheteria da Cidade das Artes ou no link https://www.ingressorapido.com.br/compra/?id=53843#!/tickets

 

Rosa Andrade

Rosa Andrade

Carioca, produtora, futura jornalista e o Batman nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Oi...Esse aviso é só para te lembrar de CURTIR a nossa FanPage no Facebook.

Assim você estará cada vez mais ligado nas novidades do Rio Jahé!

CLOSE